ANIME PRÓ»»CANAIS»»COLUNAS»»SHOUNEN JIDAI


Teoria da Personalidade Sangüínea
-

01 - 02 - 03


     Yo! Hoje decidi falar sobre um aspecto da cultura japonesa que influencia muito os mangás e animês e que pode tornar a leitura deles um pouco mais interessante: O tipo sangüíneo.
     Muitos ocidentais acham estranho as fichas de personagens de desenhos japoneses, que muitas vezes incluem o tipo sangüíneo. Mas saiba desde o começo desse texto, que isso não é por simples perfeccionismo oriental. Para os japoneses, o tipo sangüíneo é muito importante. Por exemplo, quando você se apresenta pra uma pessoa no Brasil, você diz seu nome, idade, time de futebol, etc. São coisas que nossa sociedade acredita ser de importância do indivíduo e muitas vezes, o inicio de um longo papo. No Japão costuma se dizer o tipo sangüíneo e perguntar o dos outros, na maior normalidade.
     Qual é a grande importância no tipo sangüíneo? Não, os japoneses não estão em busca de doadores. Na verdade, isso tem base em teorias criadas já em 1916, por Takeji Furukawa, da Universidade Feminina Ocha no Mizu, do Japão, pesquisador da psicologia humana e traços de personalidade, que ligava o tipo sangüíneo a forma que o cérebro funciona. Basicamente, dizia que os diferentes tipos sangüíneos reagiam de formas diferentes a perguntas, cada um ativando uma parte especifica do cérebro, criando assim, reações especificas de cada grupo sangüíneo. Mais tarde, Furukawa viria a aprofundar suas teorias com base cientifica, na Universidade de Tokyo, saindo da psicologia teórica e buscando respostas em testes de sangue, eletrocardiogramas, etc.
     O governo japonês chegou a estudar o uso da pesquisa para dividir grupos e tarefas de soldados durante a Segunda Guerra Mundial, mas desistiu pelos custos e tempo que levaria para catalogar todos seus homens. Ainda na terra onde o sol nasce, empresas empregam a pesquisa no setor de Recursos Humanos, para selecionar pessoal. No entanto, poucos países levam a serio essa pesquisa. Em Taiwan e na Coréia do Sul, eles tem a mesma idéia dos japoneses e na Franca já houve algo do tipo, alem de pesquisas próprias, que acabou não interessando o povo francês. Mas todo o resto do mundo sequer tem interesse nessas teorias.
     As pesquisas, estritamente cientificas, logo caíram na graça popular. O "horóscopo sangüíneo" se difundiu no Japão, onde ele se popularizou ao ponto de bater de frente com a astrologia, entre os carentes de previsão do futuro. Esse tipo de "bidus" sangüíneos acabou saindo da definição de personalidade e indo pro mesmo terreno da astrologia de jornal: seu sangue decide como vai ser seu dia, que cor que vai te dar sorte, o que você deve comer... E é claro que se você encontra gente que acredita nisso assistindo TV, vai ter um em algum lugar mais próximo do que você imagina.

     Pois saiba que muitos mangakás acreditam nisso. E não são alguns, são muitos mesmo. De todos os gêneros.
     Muitas vezes, a elaboração dos personagens e seu relacionamento, é definido sob base nas pesquisas de Furukawa, fazendo os personagens agirem sob os estereótipos sangüíneos. Isso acaba sendo tão aprofundado as vezes, que ajuda a dar uma certa naturalidade e coerência na reação dos personagens. Alias, esse é um dos pontos que a maioria dos amantes dos quadrinhos japoneses destaca como de fundamental importância na diferenciação com os quadrinhos de outras partes do mundo.
===

     De acordo com a Teoria da Personalidade Sangüínea, os tipos sangüíneos se separam assim:

A - É o tipo racional. Organizado. Gosta de ter seu espaço e não gosta de ver esse espaço invadido. Não acredita que as outras pessoas não se importem com a desordem, por exemplo, de uma mesa durante o jantar. É o tipo que lava os pratos e guarda tudo, não por que tem que fazer isso, mas por que se não o fizer, fica com aquela sensação desagradável. Quando conversa com alguém, sempre tenta passar uma boa impressão e fica pensando sempre no que os outros vão achar dele. Gosta de agradar e é um bom anfitrião. Respeita todas as regras, mesmo sem saber por que. Não costuma passar seus sentimentos de forma direta.
     Ao ser questionado, usa uma parte do cérebro que corresponde a formação de frases. Ou seja, está criando mais perguntas antes de responder a primeira. Por exemplo, um entrevistado, ao começar as perguntas básicas, como nome e idade, já começou a usar sua parte especifica do cérebro. Ao fim da entrevista, perguntado sobre o que pensou no inicio, respondeu que ficou imaginando se as respostas já teriam importância no resultado, se o tom de voz implicaria em algo, etc.
     Mais de quarenta por cento do povo japonês é do tipo A, o que explicaria até certas características da cultura japonesa. Naoko Takeuchi (Sailor Moon) e Rumiko Takahashi (Ranma 1/2, InuYasha), Takao Saito (Golgo 13), Tatsuya Egawa (Golden Boy), Masami Kurumada (Cavaleiros do Zodíaco), Hideaki Anno e Yoshiyuki Sadamoto (Evangelion) são do tipo A.
     O mangaká do tipo A costuma trabalhar bem o fanservice, como nas cenas de transformação de Sailor Moon. Também costuma fazer muitos personagens do tipo A, seu próprio universo. Praticamente todo o elenco de Evangelion é tipo A, de Shinji a Gendoh. Mas tem dificuldades em lidar com sentimentos, muitas vezes, fazendo confusão com seus personagens.

B - É o caos. Egoísta por natureza, mesmo que sem maldade ou intenção. Gosta muito de si mesmo e de seu próprio ideal. Não se importa em viver em um ambiente desorganizado, principalmente por que acredita que essa é sua forma de ordem. Mas em toda essa desordem e caos, está um líder sem igual. Decidido, não muda de opinião e se esforça ao máximo, de todas as formas para conquistar seu ideal e se acreditar que algo é certo, vai defender isso a todo custo. Apesar disso, é considerado um tipo difícil, por sua personalidade forte e inadaptável. Seu jeito direto e decidido pode ser um charme, mas em geral, o tipo B não costuma se interessar em sentimentos e se enjoa rápido. Se apaixona num dia e no seguinte já mudou de opinião. Segue seu ritmo. Não liga para regras.
     Acredita-se que ao ter um pensamento próprio, usa uma parte do cérebro que libera adrenalina, ou seja, acaba se embriagando de si mesmo. Em entrevistas, o tipo B se mostrou bem sincero, respondendo rápido e claramente as perguntas, sem nem pensar o por que ou o que pensam sobre ele.
     Gosho Aoyama (Detective Conan), Masami Yuki (Patlabor), Yoshito Usui (Crayon Shin-chan), Leiji Matsumoto (Yamato - Patrulha Estelar), Ken Akamatsu (Love Hina) são todos do tipo B.



Avançar >>

[ topo ]