Grupo cria Doujinshi inspirado em Hokuto no Ken e Kimi no Na wa
Yorran Barone 17-01-2017

Reunir Hokuto no Ken e Kimi no Na wa é algo quase impensável aos fãs de mangás, principalmente por ambas apresentaram tramas, personagens e características bem distintas. O grupo Dōjin Ojō no Yokushitsu, conhecido por desenvolver doujinshis (termo japonês utilizado para publicações independentes, principalmente romances e revistas), aceitou a missão e ‘misturou’ os universos em uma mesma produção.

O material denomina-se Unu no Na wa e contem 28 páginas. No enredo, os protagonistas do filme de Makoto Shinkai, Mitsuha e Taki, surgem com a aparência dos integrantes de Hokuto no Ken.

O plot gira em torno do “destino que não pode ser evitado ou alterado”. Nos tempos modernos, dois ‘tigres’ enfrentam essa mesma caminho, previamente traçado em existências anteriores. Quando uma estrela cai, ambos devem atravessam o espaço-tempo para se encontrarem. Esta reunião não ocorre por mero acaso e os dois estão marcados a se enfrentar. Imagens do doujinshi foram liberadas no último final de semana:

Hokuto no Ken 

Omae wa mou shindeiru!. Tal expressão está eternizada na memória dos fãs de Hokuto no Ken (Fist of the North Star), obra considerada um marco para as produções Shonen e leitura obrigatória aos adeptos do gênero. Há 33 anos (1983), o primeiro capítulo do mangá era lançado, série que perdurou até 1988. A produção é encabeçada pela dupla Yoshiyuki Okamura (conhecido no país nipônico por Buronson) e Tetsuo Hara, responsáveis pela história e arte, respectivamente.

A trama apresenta o protagonista Kenshirou, imerso em um cenário pós-apocalíptico, que se desenrola em 19XX. O enredo da temporada inicial mostra a jornada em busca de localizar o rival Shin, responsável pelo sequestro de sua noiva, Yuria. Durante sua viagem, ele faz uso do Hokuto Shinken (forma de combate mortal que herdou, após disputá-la com seus outros três ‘irmãos’), objetivando defender os desamparados de saqueadores sanguinários.

O sucessor da arte marcial milenar passa a enfrentar novos inimigos e encontra-se envolvido em conflitos maiores que o imaginado, lhe conferindo a posição de ‘salvador da nova era’. No decorrer da trama, novos aliados e rivais passam a integrar este meio, ocasionando em momentos marcantes e discursos épicos. A Weekly Shonen Jump veiculou todos os 245 capítulos, posteriormente divididos em 27 volumes, entre 1983 e 1988.

Inclusive, por conta do sucesso, Hokuto no Ken recebeu duas adaptações para anime, sendo desenvolvidas pelo estúdio Toei Animation. A primeira totalizou 109 episódios e Hokuto no Ken II contou com 43. Desde então, os fãs foram contemplados com especiais, filmes, OVAs e games.

Kimi no Na wa

Kimi no Na wa é um filme dirigido e escrito por Makoto Shinkai, bem como animado pelo CoMix Wave Films. A sinopse foca em duas personagens. Mitsuha Miyamizu é uma garota do ensino médio e anseia viver a vida de um menino, na movimentada Tóquio – um sonho que contrasta com sua vida presente no campo.

Enquanto isso, Taki Tachibana é morador da cidade, possui rotina atarefada como aluno do ensino médio e espera por um futuro na arquitetura. Determinado momento, ambos ‘trocam de corpo’ e passam a vivenciar as respectivas realidades do outro. Em busca de uma resposta a esse estranho fenômeno, ambos começam a se procurar.

Kimi no Na wa alcançou a 4° colocação no ranking de maior bilheteria no Japão, sendo a segunda maior de animes no país nipônica. A trama de sucesso é classificada pelos gêneros Supernatural/Drama/Romance/School.

Via ANN

Destaques

BGS 2017 | Confira nosso resumo do primeiro dia do evento

Já preciso dizer logo de cara que não sou “gamer” muito menos um jogador assíduo, mas aprecio e …

Leia mais

Hideo Kojima vem ao Brasil pela primeira vez para participar da Brasil Game Show

Considerado um dos gênios da indústria dos jogos eletrônicos, Hideo Kojima desembarcará pela primeira vez no Brasil, exclusivamente para participar …

Leia mais
Categorias
Mídias Sociais